Pele protegida do sol. E a vitamina D, como fica?
06/12/2011

por Thais Sakuma

.A vitamina D promove a absorção intestinal de cálcio, que é essencial para o desenvolvimento normal dos ossos e dentes, e atua também, como recentemente descoberto, no sistema imunológico, cardiovascular e neurológico. A deficiência de vitamina D é associada à osteomalácia  em adultos e ao raquitismo em crianças.

A principal origem da vitamina D é a conversão da pró-vitamina D (7- dehidrocolesterol) em pré-vitamina D na pele, por meio da radiação solar UVB. Uma menor quantidade de vitamina D é obtida através de fontes dietéticas, principalmente peixes (como salmão, atum e sardinha) e gema de ovo. A vitamina D passa a 25-hidroxivitamina D no fígado, sendo o principal metabólito circulante e seus níveis plamáticos usados na avaliação do status nutricional. Uma pequena fração de 25-hidroxivitamina D é convertida no rim para sua forma ativa, a 1,25(OH)2D ou calciferol. Alterações na absorção intestinal, das funções do fígado e renais e uso de medicamentos que interfiram no metabolismo do cálcio e da vitamina D podem provocar alterações dos níveis séricos desta vitamina.

Ao mesmo tempo em que a prática regular da fotoproteção tem sido recomendada para evitar o câncer da pele e o fotoenvelhecimento, há um questionamento se ela poderia levar à deficiência de vitamina D.

Alimentação é importante para equilibrar o índice de vitamina D

Alimentação é importante para equilibrar o índice de vitamina D

Em um estudo realizado pelo Prof. Marcus Maia, na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, o estoque de vitamina D foi avaliado em  pacientes com e sem orientação para fotoproteção. Apesar de diferenças entre os níveis de vitamina D, maiores no grupo fotoexposto do que no grupo fotoprotegido, os níveis mantiveram-se dentro da normalidade nos dois grupos e não houve deficiência vitamínica. Embora o filtro solar possa diminuir a produção de vitamina D, isso não ocorre em escala suficiente para causar uma deficiência da vitamina. Provavelmente porque a maioria das pessoas geralmente não aplica filtro solar suficiente para obter seu efeito completo, o que por sua vez permite a passagem de um pouco de luz solar.

O Ministério da Saúde através da campanha “Prevenção da osteoporose: da criança à pessoa idosa”, recomenda a exposição ao sol, de 15 a 20 minutos, em horário correto, para a síntese da vitamina D. Já a Academia Americana de Dermatologia (AAD) recomenda a exposição cuidadosa ao sol, com o uso regular de todas as medidas de fotoproteção.

A sugestão é que quantias adequadas de vitamina D sejam obtidas através de alimentos naturalmente ricos em vitamina D (laticínios e peixes), alimentos fortificados (leite e cereais) e/ou suplemento de vitamina D.

É importante conversar com o seu médico, que fará uma avaliação individualizada, solicitará a dosagem sanguínea de vitamina D caso julgue necessário e o orientará de acordo com sua rotina, hábitos alimentares e necessidades.

Compartilhe este post!

Post by admin

Posts Relacionados