O Câncer de Pele deveria estar extinto!
02/12/2011

por Omar Lupi

.O câncer de pele deveria ser um câncer em extinção. Sabemos exatamente suas causas básicas, a maioria ligada à exposição solar, e temos exatamente como controlar esta exposição através, muitas vezes de métodos simples e baratos. No entanto, é o tipo de câncer que experimentou o maior aumento de incidência nas últimas três décadas e isto em todo o mundo.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) promove anualmente a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele, sendo esta gratuita e resolutiva; eventuais pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado de câncer da pele têm a lesão retirada em serviços médicos credenciados pela SBD em todo Brasil sem qualquer ônus ao paciente. Porém, mais do que uma campanha pontual procuram-se alertar à população com informações concentradas no agente causador mais importante. Obviamente, os raios ultravioleta do sol, ou os de fontes artificiais, são a maior preocupação. Todos os esforços devem estar polarizados para mostrar que o abuso da exposição ao sol é o elemento de maior importância na gênese do câncer da pele.

Certamente, convém esclarecer-se, simultaneamente, que algumas características pessoais aumentam o poder nocivo daquelas radiações, e que elementos secundários poderão concorrer para sua intensificação.

Vivemos num país em que a radiação do astro rei, embora não faça parte do meio ambiente, comparece diária e intensamente. Temos praias disponíveis em todo nosso litoral e, praticamente, durante todo o ano, podemos frequentá-las, imbuídos do mesmo

sentimento internacional de que a beleza física se acentua com o bronzeamento, símbolo de poder econômico-social, especialmente nos países desenvolvidos. De outro lado, percentual elevado de nossa população trabalha no campo, exposta ao sol durante o horário em que se ocupa de suas atividades. Dentro deste contexto temos ainda o fato de que a nossa miscigenação racial nos dá uma razoável fotoproteção natural, pelo menos para a maioria da população.

Por isso, não é muito fácil argumentar e convencer os nossos jovens, e os responsáveis pelas crianças, de que males cutâneos futuros, que podem ocorrer na terceira idade, podem ser evitados, em detrimento do aspecto “saudável” do bronzeamento, na juventude. Em outras palavras, o prazer e a beleza do bronzeado na juventude, “aqui e agora”, podem ser evidências mais convincentes do que o envelhecimento precoce ou câncer episódico do porvir. Não caiam nessa!

Enfim, a SBD acabou de promover no último dia 26 de novembro a Campanha Nacional de Prevenção do Câncer da Pele de 2011 contando, mais uma vez, com um caminhão adaptado para o exame da pele e que percorrerá todo o litoral brasileiro entre o Rio Grande do Norte e o Rio Grande do Sul, até o final do verão. Acreditamos que o caminho no controle do câncer da pele, que deveria estar em extinção mais nunca foi tão comum como agora, somente ocorrerá através da informação e educação sanitária. Este será o trabalho de milhares de dermatologistas em todo Brasil que acreditam que podemos ajudar de forma efetiva a população brasileira.

Compartilhe este post!

Post by admin

Posts Relacionados