Fiocruz oferece curso de extensão sobre Esporotricose
05/11/2015

O Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no dia 18 de novembro, realizará o Curso de Extensão – Manejo Clínico-Terapêutico e Aspectos Epidemiológicos da Esporotricose no Estado do Rio de Janeiro. O curso, que busca formar e atualizar profissionais de saúde no atendimento clínico, no tratamento e na vigilância da esporotricose no estado do Rio de Janeiro, tem como público-alvo os profissionais de saúde de nível superior que atuam na rede pública de saúde na vigilância epidemiológica, dermatologia sanitária e controle de doenças transmitidas de animais para seres humanos, as zoonoses.

Impulsionados pelo surto da doença no estado, os coordenadores Dayvison Francis Saraiva Freitas e Priscila Marques de Macedo montaram um cronograma que inclui aulas teóricas, apresentação e discussão de casos e dinâmicas de grupo por área de atuação.

VEJA MAIS NO SITE: www.ini.fiocruz.br

O Rio de Janeiro é uma das cidades que mais sofrem com a esporotricose. A falta de informação sobre tratamento e cuidados após a morte do animal (se houver) e o grande volume populacional, colaboraram para que a doença se espalhasse em níveis alarmantes.

 Campanha do Instituto Protetores da Pele

A esporotricose é uma doença causada por um fungo e atinge principalmente os gatos. De alguns anos para cá, especificamente no Rio de Janeiro, tem-se percebido um aumento significativo de sua incidência nos felinos e, por consequência, nos humanos. Por serem animais domésticos, mas que geralmente vivem soltos, eles são contaminados pelo fungo e acabam transmitindo para seus donos.

Para combater a doença e estancar sua expansão, o Instituto Protetores da Pele montou a Campanha de Conscientização Sobre a Esporotricose, que surge com a missão de levar informação confiável e de qualidade à população. O projeto envolve a criação de uma página na web reunindo informações importantes sobre a doença e todos seus aspectos, a produção de material promocional impresso que serão distribuídos em pontos estratégicos e a realização de uma ação de campo, em locais a serem definidos, para atendimento e conscientização da população sobre a importância do tema, gerando mais visibilidade e atenção para população, empresas e órgãos públicos sobre a esporotricose no Rio de Janeiro.

Compartilhe este post!

Post by admin

Posts Relacionados