A importância de se hidratar os cabelos na medida certa [parte 1]
22/04/2013

[por Dra. Maria Fernanda Gavazzoni]

As agressões aos fios de cabelo podem ser inerentes ao atrito diário com penteados e escovação, uso de química como mudança na cor ou na forma (alisamentos e permanentes) ou ainda serem decorrentes do tempo de vida do cabelo (envelhecimento e poluição). Para se ter cabelos compridos, o fio deverá crescer por pelo menos 4 a 6 anos. A ponta de um fio comprido tem este tempo de vida e ao longo de 6 anos sofre agressões como as citadas no início do texto. Para que o fio se mantenha saudável por vários anos e ainda resista aos procedimentos cosméticos impostos pela sociedade atual, há de se utilizar produtos que visem não só proteger os fios contra tais agressões, como também  repará-los, caso os danos já tenham ocorrido. Os cosméticos capilares visam a reposição das estruturas naturais que compõem a integridade da fibra capilar, atuando principalmente na área da cutícula, considerada a região que confere a resistência do cabelo. Se a cutícula está íntegra, o córtex (parte mais interior da haste) está protegido.

Para que o fio se mantenha saudável por vários anos e ainda resista aos procedimentos cosméticos impostos pela sociedade atual, há de se utilizar produtos que visem não só proteger os fios contra tais agressões, como também  repará-los, caso os danos já tenham ocorrido

A integridade da cutícula é conferida pela sua lubrificação externa e entre as escamas que a compõem. A cutícula dos cabelos tem cerca de 10 camadas de células ou escamas e estas devem estar bem aderidas umas às outras. Quando há a remoção da lubrificação natural do pelo, ocorre entrada excessiva de umidade e as escamas se abrem, expondo a interior do córtex às agressões externas. A cutícula, portanto, deve estar sempre bem selada e bem lubrificada. Indiscutivelmente, a química capilar abre as cutículas. Xampus muito agressivos podem fazer o mesmo. Para manutenção das cutículas bem fechadas, usa-se xampus que contêm agentes anti-estáticos e, após os xampus, os agentes condicionantes. Estes contêm substâncias que mimetizam a lubrificação natural do pelo através da formação de um filme protetor selante que deve se distribuir de forma homogênea ao longo da haste capilar.  Quando é necessária uma reposição para áreas onde as escamas foram retiradas através de agressões mais severas, devem ser usadas as máscaras de hidratação e restauração intensas que visam, também, a uma restauração nos espaços onde a cutícula foi removida, reforçando a formação de um filme mais aderido. Os agentes condicionantes agem através de forças físico-químicas e neutralização de cargas elétricas. A característica da entropia, que é a capacidade de uma substância aderir à superfície de outra pelo contato (como a água e o óleo, que não se separam) é muito utilizada nos lubrificantes capilares como silicone e óleos vegetais e minerais para a formação deste efeito filme. Já para evitar o frizz, desembaraçar e aumentar ainda mais a aderência dos silicones entre as escamas, utiliza-se moléculas com cargas positivas (cátions), que se ligam a já existente negatividade dos fios capilares, agravada pela queratina danificada.  A neutralização de cargas visa diminuir o atrito e o frizz. O resultado é um cabelo macio, com brilho e fácil de desembaraçar!

>>> Veja no próximo capítulo como escolher os produtos certos, o que evitar e como fazer o ritual correto de limpeza dos cabelos.

Compartilhe este post!

Post by admin

Posts Relacionados