Separando o joio do trigo
25/07/2012

[Omar Lupi]

Certificado recebido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia pela organização, em 2009, da maior campanha médica com atendimentos simultâneos em todo o mundo. Profissionais da SOBENDE apoiaram, realizando atendimento gratuito em diversos postos pelo Brasil.

.A recente postagem de um texto da enfermeira Maria Helena Mandelbaum falando sobre a atuação da Sociedade Brasileira de Enfermagem em Dermatologia – SOBENDE (leia o texto), onde atua como vice-presidente e coordenadora científica, é um momento histórico no contexto da dermatologia brasileira. Tive a oportunidade de iniciar a parceria e trabalhar em estreita afinidade com a SOBENDE durante o período em que presidi a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e considero a participação desta sociedade amiga como fundamental para que obtivéssemos, em 2010, a certificação pelo Guinness de que a SBD organiza a maior campanha médica do mundo, por ocasião da realização da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele de 2009.  Outro projeto que fiquei muito feliz em poder apoiar oficialmente pela SBD foi o Dermacamp, através do qual crianças portadoras de doenças crônicas de pele têm a oportunidade, uma vez ao ano, de participar de um acampamento em que são oferecidas atividades lúdicas, contato com os monitores e com crianças com problemas de pele semelhantes. É um ato maravilhoso de cidadania e precisava que a SBD tivesse um olhar mais cúmplice e institucional!

As enfermeiras integrantes da SOBENDE foram parceiras em muitos dos pontos de atendimento nacionais durante a referida campanha e acrescentaram muito com o carinho e dedicação que lhes são peculiar. Estamos vivendo um momento em que muitas outras profissões, como a Biomedicina e a Fisioterapia, têm procurado atuar na área de Dermatologia, mas têm feito isto sem discutir junto à SBD como podem exercer esta ação de forma sinérgica com o médico dermatologista e não de forma superposta.

O posicionamento da SOBENDE, no entanto, é perfeito na sua atuação conjunta com a dermatologia, unindo forças conosco contra as grandes endemias que enfrentamos no Brasil (hanseníase, leishmaniose), além das doenças crônicas e incapacitantes (pênfigo foliáceo, psoríase extensa e artropática, úlceras crônicas de membros inferiores), etc. Tais doenças têm um grande impacto sobre a população em termos de sofrimento, afastamento das atividades de trabalho e até mesmo rejeição social. Não adianta abordarmos tais moléstias somente pelo ângulo médico de diagnóstico e tratamento, mas também é necessário procurar reabilitar tais pessoas para a atividade laborativa e de convívio familiar. É aí que reside parte do impacto que a enfermagem pode ter, com a sua ação singela e eficaz.

As ponderações de Maria Helena Mandelbaum sobre a forte atuação da SOBENDE junto à educação de crianças e jovens, uma das áreas em que a enfermagem tem mais forte tradição em todo o mundo, pode ajudar muito no controle de longo prazo do câncer de pele e das doenças sexualmente transmissíveis, situações em que a informação em saúde é fundamental na busca da prevenção.

A postura da SOBENDE sempre foi de extrema ética e de atuação dentro da regulamentação legal das suas atribuições. Acredito que é muito importante este esclarecimento para que possamos separar o joio do trigo. Ganha muito a dermatologia brasileira, a SBD e a população quando há uma parceria mais próxima com a SOBENDE. O Instituto Protetores da Pele (IPP) tem como característica ser um fórum aberto e democrático a todos os que atuam na área de cuidados com a pele, de forma ética e preocupada com o bem estar da população. Por isto mesmo, Maria Helena é membro formal do Board do IPP e estará sempre neste espaço trazendo o mais importante da enfermagem dermatológica.

Compartilhe este post!

Post by admin

Posts Relacionados