Saiba como cuidar da pele negra, mais suscetível a espinhas e manchas
12/11/2018

Os diferentes tons de pele têm singularidades que exigem atenção especial. A pele negra, por exemplo, é mais suscetível a manchas, espinhas e pelos encravados.

A pigmentação escura se deve à maior quantidade de melanina presente nas células da cútis. Essa proteína é responsável por colorir e proteger a derme contra os raios solares.

A questão é que, quando você machuca a pele ou se queima, o corpo produz doses extras de melanina para aumentar a proteção no caso de uma nova ferida. E, na pele negra, esse fenômeno deixa as manchas mais pigmentadas.

Essas marcas se tornam mais comuns e visíveis por outra particularidade da derme escura: a maior presença de espinhas.

As glândulas sebáceas do rosto de uma pessoa negra costumam ser maiores e mais ativas. Para quem não conhece, essas estruturas liberam uma espécie de sebo que protege a pele. Só que, em excesso, essa oleosidade favorece infecções e, consequentemente, a acne.

E o que isso tem a ver com as manchas? Ora, a pessoa que cutuca espinhas acaba machucando a pele. Daí desencadeia aquele processo de pigmentação – são as manchas pós-acne.

Dermatologistas indicam o uso de sabonetes antioleosidade à base de ácido glicólico e ácido salicílico como forma de controlar a produção de sebo. Para cuidar da derme manchada, consulte o seu dermatologista. Ele irá prescrever um creme clareador adequado, de acordo com suas individualidades.

Talvez você já tenha ouvido por aí que negros não precisam passar filtro solar porque não se queimam facilmente com os raios ultravioleta. Pois saiba que isso é uma meia verdade.

De fato, a incidência de câncer de pele é menor em negros devido à elevada quantidade de melanina. Ainda assim, o uso do protetor é necessário para diminuir ainda mais o risco de sofrer com ela e evitar e melhorar possíveis manchas.

Fonte: Revista Saúde

Compartilhe este post!

Post by admin

Posts Relacionados