Doutor, eu tenho… Câncer de Pele

Doutor, eu tenho… Câncer de Pele

R$ 4,99

Visualizar sumário

Você já teve a experiência de ir ao médico e não sair totalmente satisfeito? Doutor, minha pele clara aumenta as chances de eu ter câncer de pele? Esta pergunta ficou ali, presa na garganta, mas o médico não deu abertura para tirar a dúvida. Talvez ele estivesse cansado – afinal ele também é humano – e não tenha explicado tudo aquilo que você queria saber sobre o seu problema.

Fora de estoque

Descrição do produto

Prezado leitor,

O câncer de pele deveria ser um câncer em extinção. Conhecemos bem as suas causas básicas, a maioria ligada à exposição solar, e temos exatamente como controlar essa exposição, muitas vezes, por meio de métodos simples e baratos. No entanto, é o tipo de câncer que experimentou o maior aumento de incidência nas últimas três décadas em todo o mundo. Nossa experiência nesse campo vem de longa data, com a publicação do livro-texto “Câncer da Pele”, há dez anos, que até hoje é a referência nacional no assunto.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) promove anualmente a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele, gratuita e resolutiva; eventuais pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado de câncer da pele têm a lesão retirada em serviços médicos credenciados pela SBD em todo o Brasil sem qualquer ônus. Porém, mais do que uma campanha pontual, procura-se alertar a população com informações concentradas no agente causador mais importante. Obviamente, os raios ultravioletas do sol e de fontes artificiais são a maior preocupação. Todos os esforços devem estar polarizados para mostrar que o abuso da exposição ao sol é o elemento de maior importância na gênese do câncer da pele.

Certamente, convém esclarecer, simultaneamente, que algumas características pessoais aumentam o poder nocivo daquelas radiações, e que elementos secundários poderão concorrer para sua intensificação. Vivemos num país em que a radiação do astro rei comparece diária e intensamente. Temos praias disponíveis em todo nosso litoral e, praticamente, durante todo o ano, podemos frequentá-las, imbuídos do mesmo sentimento internacional de que a beleza física se acentua com o bronzeamento, símbolo de poder econômico-social, especialmente nos países desenvolvidos. De outro lado, percentual elevado de nossa população trabalha no campo, exposta ao sol durante o horário em que se ocupa de suas atividades.

Por isso, não é muito fácil argumentar e convencer os nossos jovens e os responsáveis pelas crianças de que males cutâneos futuros, que podem ocorrer na terceira idade, podem ser evitados, em detrimento do aspecto “saudável” do bronzeamento, na juventude. Em outras palavras, o prazer e a beleza do bronzeado na juventude, “aqui e agora”, podem ser evidências mais convincentes do que o envelhecimento precoce ou câncer episódico do porvir. Não caiam nessa! Este livro procura explicar de forma agradável, amistosa, mas bastante atualizada, sobre os riscos do câncer da pele, como reconhecê-lo, evitá-lo e, se preciso, tratá-lo.

Omar Lupi

  •  
  • Realização
    Protetores da Pele
  • Comunicação
    Visana Comunicação