Formigamento, fascite plantar, perda da sensibilidade: precisamos falar sobre a saúde dos pés
12/01/2018

Nossos pés ficam mais expostos no verão porque utilizamos sapatos abertos e isso resseca os pés. O que acontece é que quando usamos o sapato fechado, a umidade se mantém. Por um lado é ruim porque propicia a proliferação de fungos, mas os pés ficam hidratados. Com o sapato aberto é o oposto, pés secos, mas fungos têm mais dificuldade de crescer ali.

Nossos pés, tão exigidos todos os dias, precisam de cuidados especiais no verão para continuarem bonitos e saudáveis. Além disso, eles podem ser peça-chave para o diagnóstico de algumas doenças neurológicas

Outro ponto é que sapatos fechados geralmente tem uma almofada na palmilha, um amortecedor, e assim o atrito é menor. Os sapatos de verão, como chinelo e rasteirinhas, não têm esse recurso.

Devo lixar?
A primeira pergunta deveria ser: por que meu pé está com a pele grossa? A pele mais grossa é uma reação do organismo de que algo está errado: ou a pessoa está pisando torto, ou o sapato está inadequado, ou lixou muito o pé, ou está acima do peso… São várias possibilidades para os pés sentirem necessidade de uma proteção, que é a pele, então o organismo produz mais e mais pele.

Quando lixamos, acontece a mesma coisa, os pés entendem que isso é uma agressão e produzem ainda mais pele. O ideal é hidratar bastante os pés e descobrir a causa desse excesso de pele.

Algumas dicas para hidratação dos pés, principalmente no verão: utilize cremes à base de ureia; evite óleos porque eles não hidratam; olhe o rótulo, o ideal é hidratar com creme e não loção hidratante; deixe o creme no criado-mudo para passar antes de dormir, coloque um papel filme depois e uma meia, isso potencializa a hidratação; esfoliação é bom para tirar a camada córnea (que é a parte ressecada), mas é preciso fazer uma boa hidratação depois.

Ação da ureia
O creme à base de ureia é bom por duas ações: a ureia é queratolítica, ou seja, ela quebra a camada córnea e vai fazendo uma descamação natural. Além disso, ela é hidrofílica, mantém a parte de água do creme nos pés.

Alertas
Andar descalço em solo ou areia quente pode provocar queimaduras na sola dos pés. É uma pele mais grossa, mas também pode queimar. Cuidado ao andar pelas praias, fique atento ao cocô de cachorro e bicho geográfico.

Micose
O vinagre tem a ação de mudar o PH do ambiente, é um ácido fraco que muda o PH sem agredir. Quando faz isso, o fungo para de se multiplicar, não quer dizer que o vinagre mata o fungo, ele só ajuda a diminuir, por isso ainda é necessário o uso dos medicamentos. A dica é fazer um escalda pés com vinagre ou borrifar nas unhas, mas é importante secar muito bem depois, podendo usar até um secador de cabelos.

A micose também pode aparecer na sola dos pés e o principal sintoma é a descamação. Se descamou um pé e não descamou o outro, é micose porque nenhuma doença sistêmica atinge um pé e não atinge o outro. Não tem coceira ou manchas, a descamação vai até a lateral dos dedos. Como consequência da micose, podem aparecer pequenas bolinhas de água nos pés, a chamada disidrose.

Dicas para evitar: lave bem os pés com água e sabão quando voltar da praia e use chinelos nos banheiros compartilhados.

Os pés como sintomas
Neuropatia periférica é uma doença dos nervos periféricos, que enervam os braços e as pernas. Os sintomas neurológicos são sentidos principalmente nos pés e mãos: dor, alteração da sensibilidade, formigamento/queimação, perda de força. A perda da sensibilidade é bastante preocupante porque as pessoas podem não perceber e acabam com graves lesões. Por exemplo, entra uma pedrinha no sapato, a pessoa não sente e isso vai evoluindo para um machucado. Esbarrar com facilidade e dificuldade para calçar os sapatos também são sintomas de perda de sensibilidade.

Situações que indicam cuidados: não sentir o quente e o frio, aquela pessoa que pisa no chão quente e não percebe, dá uma topada e não sente dor. Quando tem formigamento é mais fácil porque é algo que a pessoa sente, mas perder a sensibilidade é complicado porque nem sempre o paciente presta atenção.

A perda de força é mais difícil sentir nos pés do que nas pernas, por exemplo. Uma forma de testar é mexer os dedos dos pés, se tiver dificuldade, pode ser um sintoma importante.

Por que isso acontece?
Algumas doenças, condições ou medicamentos levam a esses sintomas porque agridem os nervos. A maioria das causas começa a afetar o nervo no ponto mais distante do início (medula), por isso os sintomas começam nos pés. O nervo começa a sofrer de dentro para fora e se não for tratada a causa, o sintoma vai evoluindo e subindo para as pernas.

Todos os sintomas dependem do grau da doença, mas as principais são: diabetes, alcoolismo, carência nutricional, principalmente de vitamina B, medicamentos, como as estatinas, doenças genéticas e alterações da tireoide.

Fonte: G1

Compartilhe este post!

Post by admin

Posts Relacionados