As mulheres-girafa e a vaidade universal
21/06/2018

A beleza assume formas ao redor do mundo. O conceito de belo é líquido, mutável e até efêmero. Como disse Kant, ‘belo é tudo quanto agrada desinteressadamente’. Grandes pensadores se debruçaram sobre esta discussão, mas não é exatamente o que faremos aqui.

Este mês, o diretor do Instituto Protetores da Pele, Dr. Omar Lupi, em visita acadêmica à Tailândia e à Birmânia, países do sudeste asiático, aproveitou a oportunidade para visitar a Tribo das Mulheres-Girafa. Nesta visita, olhos aguçados de curiosidade e o olhar sempre atento à beleza e à saúde da pele, constataram que, se o belo é discutível, a vaidade é incontestável.

Se você não conhece ou apenas ouviu falar sobre as mulheres-girafa, a gente conta rapidamente um pouco sobre esta tribo tão peculiar e o motivo de sua fama ao redor do mundo.

O povoado dos Karen

Os Karen fazem parte de um grupo tribal que historicamente viveu nas colinas de Myanmar perto da fronteira tailandesa. Muito famosas por seus pescoços alongados, as mulheres Karen usam ​​anéis de bronze ao redor de seus pescoços, antebraços e canelas. Enquanto seus maridos trabalham no campo e em fazendas, elas trabalham com tecelagem e artesanato.

Os pescoços alongados

Mundialmente, as mulheres Karen são conhecidas com Long Neck Woman ou Mulheres-Girafa. Isso porque muitas pessoas acreditam que por conta das argolas, seus pescoços são alongados. Mas, o que acontece na verdade, é que o peso das argolas (que pode chegar a 7kg!) esmaga seus ombros e fazem com que as costelas sejam pressionadas para baixo.

Mas a grande pergunta é: por que elas usam esse adereço?

Há algumas histórias que tentam explicar. Umas delas diz que as mulheres Karen utilizavam as argolas não apenas por beleza, mas também para se proteger contra ataques de tigres. Com o tempo, o alongamento do pescoço virou apenas tradição. Outra lenda, um pouco mais fantasiosa (e interessante!), conta que os Karen se consideram “filhos do dragão” e, por isso, querem ter o pescoço comprido como o do animal mitológico.

O detalhe por trás das fotos é que a vaidade não está só nas roupas coloridas e extravagantes ou nas próprias argolas douradas. A pele das mulheres-girafa recebe atenção especial, com maquiagem e filtro solar naturais. A distância, cultural e física, das grandes butiques de beleza não afasta as mulheres da tribo de estarem sempre maquiadas. E, nas mais jovens, a acne cisma em aparecer; e elas, assim como as ocidentais, lutam para esconder. Apesar das diferenças, os cuidados com a pele e a auto-estima são universais!

Compartilhe este post!

Post by admin

Posts Relacionados